Mundial do aparato militar suntuoso deixará excelente legado para a Fifa

Clique na imagem e veja o vídeo
Clique na imagem e veja o vídeo
Minhas lembranças de copas do mundo de futebol são as da bola rolando, dos bastidores com torcida embandeirando as ruas, jogadores treinando ou brincando na concentração. Nunca, a não ser na Copa de 78, na Argentina, se viu aparato militar tão gigantesco e constrangedor nas ruas. Em 78, as forças nacionais argentinas estavam na rua para combater o povo, que se manifestava contra a continuidade da ditadura militar. Agora, em 2014, no Brasil, o aparato militar supera o que vimos na Argentina. As três fotos de Luciano da Matta, de A Tarde, mostram as forças que chegaram a Salvador para fazer a segurança da Copa. Concordo com o Blog do Rio Vermelho: É impressionante!

Copa do Mundo - Exército para controlar o provo - 29-05-2014

E acrescento: Triste! Essa força de repressão toda, mostrada nas fotos, está de prontidão para bater no povo que for às ruas protestar.
Esperava-se que num governo do partido dos trabalhadores a repressão do Estado fosse diferente. De proteção ao povo, que paga, com altos impostos, a manutenção do Estado. Agora sabemos que não é.

Copa 2014 - tropas do exército - oglobo.com

E o comentário de leitor de A Tarde no sábado, 31 de maio, justifica-se:

Copa do Mundo - carta do leitor - 31-05-2014 - II

E não custa lembrar que os protestos são mais que justificados.
Afinal, quando, em 2006, o governo brasileiro pediu à Fifa para sediar a Copa, os brasileiros foram informados que o torneio seria totalmente patrocinado por empresas privadas, não sairia um centavo do tesouro nacional e que haveria um legado extraordinário para esta e as próximas gerações desfrutarem nas áreas de lazer, saúde, educação e cultura.
Passados oito anos, não há pista nenhuma de legado. Ao invés dos oito estádios pedidos pela Fifa, o governo construiu e/ou reformou doze arenas.
E, hoje, os brasileiros sabem que o governo federal destinou 98,5% de verba pública para a Copa. A iniciativa privada “colaborou” com 1,5%.
Só para efeito de comparação, na Copa de 94, os Estados Unidos não gastaram nenhum centavo público na realização do torneio.
Ainda para comparar: a Copa de 2002 custou 10,1 bilhões de dólares ao Japão e Coreia do Sul; a de 2006, custou 10,7 bilhões de dólares à Alemanha; a de 2010, custou 7,3 bilhões à África do Sul; e o custo da Copa de 2014 vai superar 33 bilhões de dólares ao Brasil. A fonte de informação é a revista Época Negócios.
A Folha de SP de 6 de dezembro de 2013, informa que esta Copa é a que mais renderá à Fifa: 4,1 bilhões de dólares de lucro para a entidade multinacional futebolística com sede em Genebra, Suiça.
Nem todos brasileiros, porém, têm motivos para reclamar. A mesma fonte informa que a Rede Globo vai faturar 2 bilhões de dólares com a competição.
Talvez por isso o Ronaldo Fenômeno manda “descer o cacete” nos manifestantes e as “autoridades” acham normal a declaração. Clique aqui e confira.
Apesar de tantos números favoráveis aos poderosos já existem sinais de desacordos entre eles, vejamos o Blog do Cosme Rímoli:
Dilma garante: o que foi prometido para a Copa foi cumprido. Até sua maior parceira, a Fifa, não concorda. Trem-bala, obras de mobilidade, reformas nos aeroportos, iniciativa privada bancando os R$ 30 bilhões do Mundial. Nada virou realidade…
Joseph Blatter
Joseph Blatter
Para Joseph Blatter há um grande problema na Copa de 2014.
Não foi criado pela Fifa.
E feriu de morte o clima de alegria sonhado pelo presidente da Fifa.
O erro começou com Lula e foi perpetuado por Dilma.
“Muitas coisas foram prometidas aos brasileiros. E não foram cumpridas.”
Desabafou de forma direta à RTS, tevê pública suíça há menos de 30 dias.
Suas palavras foram ouvidas como traição no Planalto Central.
“Eles (dirigentes da Fifa) fizeram a mesma coisa na África do Sul, o mesmo discurso. Estive na abertura das Olimpíadas de Londres. Eu sou chefe de Estado, estava há uma hora no trânsito. Desci e tomei um metrô. Eu não chegava. Eu quero saber: o que nós prometemos que não entregamos?”
A presidente Dilma Rousseff respondeu assim ao SBT há dois dias.
Quando ela diz ‘prometemos’ remete também ao ex-presidente Lula.
Foi ele quem aceitou as exigências da Fifa para fazer a Copa aqui.
A lista de promessas não cumpridas infelizmente é grande.
A começar pelo uso do dinheiro público.
Havia o juramento que os cofres do governo não seriam sangrados.
Todo o investimento viria da iniciativa privada.
Os 12 estádios exigidos por Lula seriam erguidos por empresários.
Todos ‘padrão Fifa’ de qualidade.
Investidores deveriam duelar para conseguir fazer parte do projeto.
“Faço questão absoluta de garantir que a Copa de 2014 será uma Copa em que o poder público nada gastará em atividades desportivas. “Os estádios para a Copa do Mundo serão construídos com dinheiro privado. Não haverá um centavo de dinheiro público para os estádios.”
O governo federal já não tinha boa memória em relação a esporte.
Havia garantido que o Pan do Rio custaria R$ 450 milhões em 2007.
Saiu por mais de R$ 5 bilhões.
Não deixou legado algum.
O Engenhão interditado e o velódromo virou seus grandes símbolos.
O estádio foi construído para o torneio.
Custou R$ 380 milhões.
Suas obras se atrasaram.
Foram aceleradas para ficar pronto para o Pan.
Seis anos após a inauguração ele teve de ser interditado.
Oferecia problemas graves na sua estrutura.
Está fechado desde 2013, com previsão para ser reaberto em 2015.
Um velódromo coberto foi construído para a competição de 2007.
Custou R$ 14 milhões.
Poderia ser adaptado para a Olimpíada de 2016.
Mas estranhamente se optou por destruí-lo.
E construir um novo pelo preço de R$ 147 milhões.
Além disso houve os prédios da Vila Olímpica que fariam parte do legado.
Ruas tiveram de ser refeitas com gastos oito vezes maior.
Elas estavam afundando na Barra da Tijuca.
O asfalto cedeu e retas viraram ladeiras…
“Estamos monitorando a execução das obras, para que façamos a melhor Copa de todos os tempos. A reforma e a construção de estádios estão em ritmo adequado. Das 12 arenas que receberão os jogos, dez estão em obras, sendo que a conclusão de nove delas está prevista para dezembro de 2012.”
As palavras foram de Dilma.
Seis estádios não estava prontos no início do ano.
Vários não terminarão.
Haverá a necessidade de tapumes, principalmente em obras em torno.
Viadutos, calçadas e destroços serão escondidos por placas de madeiras.
Tapume para esconder o nada feito em Natal (RN)
Tapume para esconder o nada feito em Natal (RN)
Em Natal, pontos turísticos da cidade serão pintados nos tapumes.
Em Cuiabá, a avenida mais movimentada foi destruída.
Iria ser construído o Veículo Leve sobre Trilhos, metrô de superfície.
Seria para a Copa.
Mas a obra atrasou tanto que não deu tempo de ficar pronta.
Então se decidiu colocar recolocar as plantas que já existiam na avenida.
Só para maquiar.
Maquiagem será a especialidade nestes seis últimos dias antes do Mundial.
“Nós queríamos apenas oito estádios. O governo brasileiro pediu 12. Foi para fazer seu ajuste político”, revelou Blatter.
O presidente da Fifa está claramente cansado.
Irritado com as críticas ao Mundial.
Arrependido com a escolha.
E está repassando a culpa por tudo de ruim ao governo brasileiro.
Todos na organização da Copa sabem que há quatro elefantes brancos.
Estádios grandes demais para o futebol local.
Mesmo assim foram construídos.
As arenas de Manaus, Cuiabá, Brasília e Natal.
Por pressão dos governadores.
A própria Dilma garantiu que haveria trens pelo Brasil por causa da Copa.
O mais representativo seria o trem-bala entre São Paulo e Rio de Janeiro.
“Pretendemos ter os trens em 2014 para a Copa do Mundo.
Até porque é uma região muito importante em termos de movimentação na Copa.
Estarão prontos para a Copa.”
A presidente disse cada palavra quando era ministra da Casa Civil em 2009.
Pois bem, não só o trem-bala não saiu para a Copa.
Como não há a menor possibilidade que seja construído para a Olimpíada.
Aeroportos modernizados foram prometidos.
Só que pouquíssimas obras foram feitas nestes sete anos.
“Os nossos aeroportos não precisam ter padrão Fifa. São padrão Brasil”, ironizou a presidente cobrada pela modernização não feita.
Tantas promessas não cumpridas precipitaram as manifestações.
Ainda mais com o país com problemas crônicos na Segurança, Saúde, Educação.
Mais de 70% da Copa mais cara de todos os tempos saiu dos cofres públicos.
Sem legado real, o clima de decepção da população com o Mundial é evidente.
Também é evidente a  sensação que o governo enganou a todos ao trazer a Copa do Mundo.
O que seria motivo de festa virou desperdício de dinheiro do contribuinte.
Pesquisa de quarta-feira, 4 de maio, da Datafolha mostra: a tendência de queda da presidente continua.
Ela caiu mais três pontos na corrida pela reeleição.
Passou de 37% para 34%.
Números terríveis em comparação à aprovação de Lula.
O ex-presidente deixou o governo com índice recorde.
De acordo com o Datafolha sua aprovação era de 70% em 2008.
Outra pesquisa foi apresentada nesta sexta-feira, 6 de maio: mais da metade dos brasileiros (53%) acredita que sediar a Copa do Mundo foi uma decisão equivocada do Brasil. Além disso, 52% dos cidadãos acham que o legado deixado pelo evento para a imagem do país será negativo. As percepções foram constatadas na pesquisa “Brasil além da bola”, feita pela TNS Brasil, empresa global de pesquisa de mercado e opinião, em parceria com Lightspeed Research. De acordo com o levantamento, que ouviu 968 pessoas em nove capitais entre maio e junho, 39% dos entrevistados acreditam que a imagem brasileira no exterior ficará pior após o evento. Na comparação entre o Mundial de futebol e a Olimpíada de 2016, que será sediada no Rio de Janeiro, 42% acham que os dois eventos serão iguais e 38% acreditam que a disputa olímpica será “melhor ou muito melhor” do que a Copa.
Blatter, aos 78 anos, continua com excelente memória.
Basta perguntar a ele porque o Mundial trouxe tanta tensão.
E abriu espaço para decepção, revolta.
“Muitas coisas foram prometidas aos brasileiros.
E não foram cumpridas.”

6 pensamentos sobre “Mundial do aparato militar suntuoso deixará excelente legado para a Fifa

  1. Pingback: falandonalata1

  2. Sensacionais, as lembranças…

    Mas querido Bonfa. Dê uma pesquisada por aí no texto Dilma e as Uvas, de Gabeira. Saiu no Estadão no final de semana e é imperdível. O cara escreve bem, como escreve bem o Gabeira.
    Tem umas partes que eu lembro, pois adorei as colocações. Tipo:” Q Copa já foi perdida fora do campo. Dentro, a presidente Dilma aguarda com singular ansiedade”… e o melhor “O estádio de Manaus vai ficar como um monumento. A roubalheira ou a incompetência, embora no padrão Brasil as duas coisas andam juntas, bem perto do gol”,algo assim. Leia que Vc vai gostar.

    Abs

  3. Esta copa é tão triste e nojenta, que mesmo gostando de futebol eu, às vezes, penso em torcer contra o Brasil, é duro ter que ouvir gente como esse Ronaldo Gordo falando asneiras e mentindo para o povo. PT nunca mais.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s