Mário Sérgio Dias Bacelar

Uma pessoa só morre quando morre a testemunha. Então, eu, Paulo Preto, Paulo Nunes, Jota, Fernando Zamilute, Tião, Álvaro, Luiz Carlos Ribeiro, Hércules Vilares e tantos outros amigos e amigas somos testemunhas e por isso o Grego continuará vivo em nossas memórias. Em outra dimensão, além dos seus parentes, ele terá a oportunidade de se encontrar com Simone, Luciano Popó. Nivaldo Bozim, Erivaldo, o Peri, Grimoaldo, o Caculé, Pedro, primo de Caculé, Marcão Menezes, Clazildo, e tantos outros e outras que já partiram para a vida eterna. … Mais Mário Sérgio Dias Bacelar

Dia de Coleta da Solidariedade

No ‘Dia de Coleta da Solidariedade’, promovido pelo Comitê Baiano Vacina no SUS JÁ!, domingo (28/03), foram entregues 200 refeições, água mineral e material de higiene e limpeza para a população em situação de rua de Salvador. A distribuição das doações, feitas por entidades que compõem o coletivo, foi realizada na Praça da Piedade e na sede do Movimento da População de Rua da Bahia, ambas no Centro da cidade. … Mais Dia de Coleta da Solidariedade

Dona Guilé

Seu nome era Guillhermina, mas todos a conheciam como D. Guilé. Era irmã de Seu Jorge, Seu Aurélio, Seu Zeca e D. Maria. Mãe de Anésia (dócil e terna que nem essa jamais existirá), Alício, Arlindo e Nemira. Era unha e carne com a cunhada, outra dócil como todas as flores: Tia Fulô! O semblante era costumeiramente sereno e sério. Não era de muito papo, passava “rabo de olho”  para os netos, mas tinha um bonito e contido sorriso.  … Mais Dona Guilé

E esse menino aí é pagão?

Tio Zeca, filho caçula de vovô, após alguns anos de pesquisas em documentos cartorários, cartas, fotografias, entrevistas com antigos moradores dos lugares por onde seu pai passou, além de conversas com familiares, veio a escrever o livro “Álbum de Família”, onde faz alguns recortes genealógicos e biográficos da família Rebouças, desde a chegada desses portugueses-açorianos na Bahia. Desses escritos, retirei algumas passagens que revelam um pouco da inspiradora pessoa que foi meu avô paterno. … Mais E esse menino aí é pagão?

Entidades de classe e familiares prestam homenagem a Marcus Matraga

Claudia Correia nos conta que para marcar a data em que Marcus faria 64 anos, 4 de março, um ato político e poético será realizado às 19h, nas redes sociais. A organização do encontro virtual tem o apoio do Conselho Federal de Psicologia (CFP), do Instituto Silvia Lane, Núcleo pela Superação dos Manicômios da Bahia (NESM) e da Rede Nacional Internúcleos da Luta Antimanicomial (RENILA). A intenção da família de Marcus é prestar uma homenagem ao ativista, que também escrevia poemas, num ato artístico e político para reverenciar seu trabalho e exigir a conclusão do inquérito policial. … Mais Entidades de classe e familiares prestam homenagem a Marcus Matraga

Mergulho na hora errada

Depois do banho de rio e após o saboroso almoço trazido de nossa casa, feito de carne seca assada e farinha molhada salpicada com cebola roxa e tomate picadinhos, passamos um bom tempo brincando entre as árvores, atirando em passarinhos com badoque e chupando umbu, quixaba e jabuticaba, até que lá pelas tantas ouvimos um grito de seu Arlindo — só gritou porque tinha sido ordenado pra isso —, nos chamando para o retorno ao Trapiá. … Mais Mergulho na hora errada

Uma vila em Irajá

O cronista Valter Freire conta o que o inspirou para escrever essa crônica: “Era uma vez uma vila no bairro de Irajá, subúrbio do Rio de Janeiro. Há semelhanças com a Rua dos Pratos, de Vitória da Conquista. A crônica foi inspirada nas lembranças da Tereza, madrinha dos meus dois filhos”. … Mais Uma vila em Irajá

A última impressão é a que fica

— Francisco, me dê aí um desses muleque seu pra ir abrindo cancela até a casa de Maviel

Foi assim que ordenou meu avô Daniel, logo depois que entrou sala adentro. Trocou meia dúzia de palavras com meu pai, tomou um cafezinho pegando fogo e folgou a fivela do roló, que lhe apertava um dos pés. Eu, Deel e Baia, presentes ali na sala, lhe pedimos a bença (benção, só os padres sabiam falar assim, corretamente) e por instantes ali permanecemos em silêncio submisso, com expressão de anjos imaculados. … Mais A última impressão é a que fica

Rua dos Pratos revisitada

Valter Freire volta à Rua dos Pratos/Prates. Você se lembra, o assunto já foi bem divulgado pelo blog (clique aqui). Ele conta porquê retornou ao assunto: “Fiz uma revisão no texto da Rua dos Pratos. Encontrei duas fotos antigas da casa em que nasci nesta rua. Em uma foto estou com minha filha Camila. Acho que são as únicas fotos da casa, que teve a fachada alterada. Alterou para pior”. Vale a pena você passear de novo por essa rua de Vitória da Conquista, no sudoeste da Bahia. … Mais Rua dos Pratos revisitada

Preguiça ou Pressa

Os riscos de que falo vinham daquelas viagens feitas em alta velocidade, desembestadamente, num Fusquinha 1300, que foi de meu irmão Deel e que nosso pai me presenteou como prêmio por ter passado no concorrido vestibular de Direito da Universidade Federal da Bahia. Alta velocidade? Não, lógico que não. Isso é mais o jeito de falar ou o jeito de guiar. O Fusca tinha 46 hp segundo os critérios da época, mas esta potência nos dias de hoje corresponde a insignificantes 38 cavalos, conforme os atuais padrões de medição. Em outras palavras, isto equivale a menos da metade da potência de um carro popular na atualidade. Imagine só… … Mais Preguiça ou Pressa

Você sabe quem nasceu aqui?!

Era uma Rural de duas cores e por isso esse tipo de pintura era chamado de saia e blusa. Branca e vermelha, esse era um dos carros mais apropriados para os caminhos de então, porém mesmo assim nada aguentava tantos solavancos. De Caculé para Caetité são pouco mais de 70 quilômetros de distância, que eram todos percorridos em piso de terra, com muitos bicos de pedras, costelas de vaca e buraco de toda ordem. … Mais Você sabe quem nasceu aqui?!

Projeto de descarte de resíduos beneficia comunidade do Binóculo

A parceria entre o Conselho de Moradores, o Centro Educacional Edgard Santos e o Instituto Steve Biko, deu início ao projeto de requalificação do ponto de descarte de resíduos sólidos urbanos da comunidade do Binóculo, no bairro da Federação, em Salvador. … Mais Projeto de descarte de resíduos beneficia comunidade do Binóculo

Valter e a Procissão de Nossa Senhora das Vitórias

Em 15 de agosto, Vitória da Conquista comemora o dia de Nossa Senhora das Vitórias, padroeira da cidade. A festa religiosa é celebrada desde 1809. Valterci Freire, ou simplesmente Valter, cronista colaborador do blog, fez a crônica, que você vai ler a seguir, em 15 de agosto de 1973, quando já morava no Rio de Janeiro, no bairro das Laranjeiras. Boa leitura! … Mais Valter e a Procissão de Nossa Senhora das Vitórias

Comunidade do Binóculo cria Sacolão da Economia

A pandemia da Covid-19 trouxe impactos no convívio social e no padrão de consumo de toda a humanidade. O risco de contágio impôs medidas de restrição ao comércio, à circulação das pessoas e desacelerou a economia devido à queda na renda, principalmente dos trabalhadores informais.
Para enfrentar essa crise, moradores da Rua Miguel Lemos, conhecida como comunidade do Binóculo, no bairro da Federação, em Salvador, criaram um projeto criativo: o “Sacolão da economia”. … Mais Comunidade do Binóculo cria Sacolão da Economia