Mário Sérgio Dias Bacelar

Uma pessoa só morre quando morre a testemunha. Então, Bomfim Brown, Paulo Preto, Paulo Nunes, Jota (João Carlos Ferraz Barbosa), Fernando Zamilute, Tião (Sebastião Passos), Álvaro Amorim Filho, Luiz Carlos Ribeiro, Hércules Vilares e tantos outros amigos e amigas somos testemunhas e por isso o Grego continuará vivo em nossas memórias. Em outra dimensão, além dos seus parentes, ele terá a oportunidade de se encontrar com Simone, Luciano Popó. Nivaldo Bozim, Erivaldo, o Peri, Grimoaldo, o Caculé, Pedro, primo de Caculé, Marcão Menezes, Clazildo, e tantos outros e outras que já partiram para a vida eterna. … Mais Mário Sérgio Dias Bacelar

Gilberto Dimenstein

Conheci Gilberto Dimenstein, pessoalmente, em outubro de 1997. Ele veio a Salvador para fazer uma palestra sobre o trabalho infantil. À época, eu fazia várias reportagens para o jornal A TARDE sobre o tema. E a palestra do jornalista paulista estava inserida na pauta. A entrevista foi ótima e o resultado da reportagem muito bom. Desde então acompanhei o trabalho de Dimenstein e algumas vezes falamos por e-mail, sempre sobre o tema trabalho infantil. … Mais Gilberto Dimenstein

A profecia se confirmou: Irmã Dulce é um fenômeno, uma santa

Há sete anos, este blog publicou texto sobre os 20 anos da morte de Irmã Dulce (ocorrida em 13 de março de 1992). O texto, que você pode ver clicando no link abaixo, reportava-se ao trabalho profissional de José Bomfim e Wilson Besnosik no período em que Irmã Dulce adoeceu. Os plantões diários no Largo … Mais A profecia se confirmou: Irmã Dulce é um fenômeno, uma santa

14 de março de morte: o mundo fica mais pobre em generosidade. Adeus, Sebastião Castro

No Blog do Paulo Nunes é publicado que o médico Sebastião Rodrigues Castro, de 78 anos, sofreu um infarto no final da tarde de terça (13 de fevereiro), foi submetido a um cateterismo e na manhã de quarta-feira, 14, sofreu uma parada cardíaca. Após várias tentativas de reanimação pelo corpo clínico do hospital SAMUR, Dr. Tião … Mais 14 de março de morte: o mundo fica mais pobre em generosidade. Adeus, Sebastião Castro