Jornalista Marivaldo Filho é agredido por policiais

Não importa o governo: a polícia sempre age como um organismo de exceção e jamais aplaca a sua fúria agressora. E se o alvo for negro (ou pertencer a alguma outra minoria, como se convencionou a falar) então aí é que a fúria se dá de um jeito que você pensa, pensa e não consegue chegar a uma explicação. Explicar como a agressão a alguém que está desarmado, já dominado e sem representar nenhuma possibilidade de ataque? E um dado que sempre me intriga: o ataque não diminui se o agressor é negro. É um espelho às avessas? Sabe-se lá o que é.
Sábado, ontem, 4 de julho, o jornalista Marivaldo Filho, assessor da Câmara Municipal de Salvador e editor do site Bocão News, foi vítima dessa fúria. No texto abaixo, ele fala como foi a agressão. Veja também a repercussão nos links em seguida.
O que policiais, principalmente policiais negros, deveriam era ouvir todos os dias Nina Simone, com a tradução das letras de suas músicas ao vivo. Só assim conseguiriam perceber como racistas, amparados por um Estado inerte, causaram tanto mal a várias gerações.

Repórter do Bocão News é espancado ao fotografar ação truculenta da PM

Domingo, 05 de Julho de 2015 – 11:04
Por Adelia Felix (Twitter: @adelia_felix)

Marivaldo Filho espancado por policiais

Marivaldo Filho, editor de política do Bocão News
O editor de política do site Bocão News, Marivaldo Filho, foi espancado por policiais militares na noite deste sábado (4), no bairro do Bonfim, em Salvador. De acordo com o jornalista, ele estava em uma confraternização, quando duas pessoas se desentenderam. “Tinha uma viatura perto na hora. Durante a abordagem, os policiais tiveram uma postura a favor de um dos envolvidos na briga, que era policial, e deram início a uma sessão de espancamento contra o outro. Os policiais chegaram até a ralar o rosto do rapaz no chão.  Por conta da atitude, decidi registrar a ação”, conta.
 
Segundo o profissional de imprensa, um dos policiais que percebeu que ele fazia o registro da ação, imediatamente o abordou e de forma violenta. “Ele pediu para apagar a foto. Eu disse que não iria apagar. Tentei argumentar que não tinha porque apagar. Isso gerou uma fúria maior no policial, que me deu voz de prisão”, afirmou.
 
Marivaldo foi algemado e levado para o camburão da viatura da PM. Antes, foi vítima uma série de agressões. “Ele começou a dar vários socos em minha cabeça. Depois pediu meu celular e pediu para destravar para que ele pudesse apagar as fotos. Eu tinha recebido tanto soco que não tinha mais condições nem de digitar a senha do meu celular. Quanto mais errava a senha, mais socos recebia. Ele pegou alguma coisa no chão, que eu acredito que tenha sido uma pedra, e me agrediu. Sangrou muito. Acho que o PM só parou de me bater quando viu que eu estava sangrando muito”, relatou.

Local da agressão contra o jornalista Marivaldo Filho

Local da agressão
Marivaldo Filho foi levado para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Roma pelos próprios policiais e recebeu atendimento dos profissionais de saúde algemado. “Depois de ser brutalmente agredido, ainda passei por constrangimento para tomar ponto na cabeça com todo mundo na UPA olhando para mim como se eu fosse um criminoso”, lamentou. O repórter levou sete pontos na cabeça, e ficou com diversos hematomas.
 
O jornalista foi levado após atendimento para a Central de Flagrantes, nos bairro dos Barris. “Na versão deles, eles disseram que eu tinha desacatado eles. Disse que falei ‘policiais de merda’. Inventaram uma história só para defender o amigo deles”, denuncia.
 
Marivaldo garante que tomará todas as medidas cabíveis. “Independente dos riscos, de tudo que isso implica, eu vou denunciá-los na corregedoria da Polícia Militar e vou procurar o Sindicato dos Jornalistas também”.
 
Na manhã deste domingo (5), o editor do Bocão News esteve no Departamento de Polícia Técnica (DPT) para fazer exame de corpo de delito.
Repercussão:
Presidente do Sinjorba repudia agressão de policiais a repórter do Bocão News
Presidente da Fundação IDH cobra punição sobre agressão a repórter do Bocão News
Paulo Câmara repudia agressão de policiais militares contra jornalista do Bocão
Agressão à repórter é “atentado à liberdade de expressão”, diz ABI
Líder dos bancários se solidariza com jornalista do Bocão News agredido por PMs
Governador determina investigação rigorosa de agressão de PM a repórter do Bocão News
E, para que nunca deixe de ser lembrado o racismo de brancos contra negros norte-americanos, clique na imagem e ouça/veja Nina Simone:

Nina Simone - Mississipi Goddam

Nina Simone – Mississippi Goddam – YouTube

Primeiro álbum: Nina Simone in Concert

Data de lançamento: 1964

Tradução:

Mississippi Goddam

O nome desta música é Mississippi Goddam (puta que pariu)
E eu quero dizer cada palavra

Alabama é chegado a me deixar tão chateada
Tennessee me fez perder meu descanso
E todo mundo sabe, Mississippi puta que pariu

Alabama é chegado a me deixar tão chateada
Tennessee me fez perder meu descanso
E todo mundo sabe, Mississippi puta que pariu

Você não pode vê-lo
Você não pode senti-lo
É tudo no ar
Eu não posso suportar a pressão por muito mais tempo
Alguém diz uma oração

Alabama é chegado a me deixar tão chateada
Tennessee me fez perder meu descanso
E todo mundo sabe, Mississippi puta que pariu

Esta é uma sintonia mostra
Mas o show não foi escrito para ele, ainda

Cães de caça em meu rastro
Crianças em idade escolar sentam-se na prisão
O gato preto cruzar o meu caminho
Eu acho que a cada dia vai ser o meu último

Senhor, tem piedade nesta terra de meus pais
Nós todos vamos buscá-la no devido tempo
Eu não pertenço aqui
Eu não pertenço lá
Eu mesmo acreditando que parou na oração

Não me diga
Eu digo a você
Eu e meu povo apenas
Eu estive lá assim que eu sei
Eles continuam dizendo: “Vá com calma!”

Mas isso é só o problema
“Faça isso devagar”
Lavar as janelas
“Faça isso devagar”
Escolher o algodão
“Faça isso devagar”
Você é podre apenas
“Faça isso devagar”
Você é muito preguiçoso maldito
“Faça isso devagar”
O pensamento do louco
“Faça isso devagar”
Onde é que eu vou
O que estou fazendo
Eu não sei
Eu não sei

Basta tentar fazer o seu melhor
Levante-se para ser contado com todo o resto
Para todo mundo saber, Mississippi puta que pariu

Eu fiz você pensar que eu estava brincando

Filas de grevistas
Escola de boicotes
Eles tentam dizer que é uma conspiração comunista
Tudo que eu quero é a igualdade
Para minha irmã meu irmão meu povo

Sim, você mentiu para mim todos esses anos
Você me disse para lavar e limpar meus ouvidos
E falar bem de verdade como uma senhora
E você parasse de me chamar de irmã Sadie

Ah, mas este país está cheio de mentiras
Você é tudo que vai morrer e morremos como moscas
Eu não confio em mais nada
Você continua dizendo: “Vá com calma!”
“Vá com calma!”

Mas isso é só o problema
“Faça isso devagar”
Desagregação
“Faça isso devagar”
Participação em massa
“Faça isso devagar”
Reunificação
“Faça isso devagar”
Fazer as coisas gradualmente
“Faça isso devagar”
Mas trazer mais tragédia
“Faça isso devagar”
Por que você não veja
Por que você não sente
Eu não sei
Eu não sei

Você não tem que viver ao meu lado
Apenas me dê o meu, igualdade
Todo mundo sabe sobre Mississippi
Todo mundo sabe sobre Alabama
Todo mundo sabe, Mississippi puta que pariu

É isso aí!

 

14 pensamentos sobre “Jornalista Marivaldo Filho é agredido por policiais

  1. E a resposta do corregedor da PM: “Se for afastar todos os policiais envolvidos em denúncia não sobra um pró policiamento”. Pode? Nossa solidariedade ao querido amigo Marivaldo.

  2. Bom dia meu amigo, Marivaldo foi agredido porque tinha outro rapaz sendo agredido, mas toda a imprensa esqueceu do primeiro agredido. Cadê ele? Quais foram as suas lesões? Não aparece ninguém para defendê-lo? Só o jornalista é gente e negro? e o outro? Abraços, amigo…

    Miguel Brusell

    Jornalista DRT 1931 Tel.: 8880-2030/9241-3343

  3. Sabe-se lá o que é, amigo-irmão! Será que o incidente teria o mesmo desfecho se a ocorrência fosse no Itaigara? Se no lugar de um jornalista negro, estivesse o filho de um desembargador? Abuso de poder! Atentado contra a liberdade! Racismo! Seja o que for, professor, não podemos nos calar!

    Usei parte do seu comentário e também coloquei link direto para o Blog. http://sertaobaiano.com.br/noticia/caso-marivaldo-filho-rui-costa-determina-apuracao-dos-acontecimentos

    Abraço!

  4. Oi Zeca… dura realidade viu??… um desmando total, além de despreparo e arrogância… uma longa história de opressão… de policiais e sociedade… Simplesmente triste. Desejo coragem e força ao Marivaldo.

  5. Seu Bonfa! Não deveriam ter feito isso com o nobre Maru. Estou muito revoltado com tudo isso. Me sentindo impotente por não poder tomar nenhuma atitude ou decisão que possa fazer justiça a esse ato truculento, a não ser me solidarizar ao amigo através das minhas palavras. A vontade mesmo era identificar esses caras e pagar com a mesma moeda. Muito revoltado seu Bonfa, muito mesmo! O nosso Maru não merece isso. Só estava cumprindo o seu papel.

  6. Pingback: violência policial | falandonalata1

  7. Parabéns Brown pelo apoio e divulgação de mais uma brutalidade e agressão não apenas a um grande profissional, mas também um grande ser humano que Marivaldo é e continuará sendo no contexto da politica soteroçpolitana, pois a democracia e a liberdade de expressão não pode se calar diante de tantas arbitrariedades. Chega!!!

  8. Foi muito difícil conter as lágrimas quando recebi essa notícia. A forma com que o amigo e colega Marivaldo foi tratado, a violência, a vergonha… No mesmo instante agradeci a Deus por ele ainda estar vivo porque não seria a primeira vez que casos como este terminam em assassinato e com o tempo caem no esquecimento sem a punição dos envolvidos. Seja forte querido Maru erga a cabeça agora ferida, mas ainda com orgulho de ter feito o que deveria: praticado o jornalismo cidadão. Fico pasma vendo nas redes sociais alguns comentários de pessoas que desconfiam que tem algo errado na história mas que fazem questão de esquecer que a ação violenta da PM foi usada contra um trabalhador negro e homem de bem. Nossos filhos, amigos, familiares também merecem o mesmo tratamento????? Será que as leis mudaram e a polícia não é mais treinada e paga para proteger o cidadão? #forcaMarivaldo #apuracaoJa

  9. Meu amigo, estou tão desolada, triste e machucada.
    Chorei tanto no dia de hoje pelo acontecido com nosso querido Marivaldo.
    Sabendo que todos os dias tantos outros passam pela mesma crueldade.

  10. Muito triste este ato de covardia! Já divulguei e dei meu apoio ao amigo Marú,além de ser um jovem jornalista competente, é uma pessoa de bom coração, colega e amigo que todos bem sabem como ele se comporta. Pessoa amorosa com todos! Estamos com você Marú!! Força!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s