Presidente da República frustra população no 1º de Maio

Dilma Rousseff - preocupada
Tradicionalmente, o Dia do Trabalho – comemorado em 1º de maio – é a data em que o presidente da República fala à Nação brasileira em cadeia de rádio e TV. A tradição foi quebrada agora, em 2015. A presidente Dilma Rousseff  preferiu ficar calada. Suspeita-se que seguiu conselho do seu ministro da Comunicação Social, Edinho Silva, que previu um panelaço em todo o País durante o discurso. O mesmo Edinho que no dia 2 de abril, quando assumiu a Secom, disse à Folha de SP que “panelaços não intimidam a presidente”.
A sugestão do ministro, seguida por Dilma, foi de gravação de pequenos vídeos e alguns tuítes. Ou seja, Dilma se apresentou nas redes sociais. A Nação não a viu nem a ouviu. E o novo valor do salário mínimo – para valer em janeiro -, não foi anunciado, outra tradição quebrada.
Não seria uma boa chance de a presidente explicar o que está errado em seu governo e o que pode ser feito para melhorar?
É mais uma frustração de quem ganhou a eleição há apenas seis meses e ainda tem três anos e meio de governo.
E pensar  que em 2003, em seu primeiro discurso no Dia do Trabalho, na condição de presidente da República – citado por Ruth de Aquino, em sua coluna na revista Época, número 882 – falou longamente e encerrou prometendo que “Podem ficar certos que todo 1º de Maio, às 9 horas da manhã, o presidente da República estará aqui para prestar contas do que estamos fazendo neste país”.
Depois de entregar a economia para Joaquim Levy, quadro do PSDB e ex-manager do Bradesco; a articulação política para Michel Temer, do PMDB, e não falar ao povo, o que mais Dilma fará ou não fará?

4 pensamentos sobre “Presidente da República frustra população no 1º de Maio

  1. O problema, Brown querido, é que não é do temperamento Dela e do partido de reconhecer erro algum. Dos morais e éticos (mais graves) ao caos da gestão.

    Não existe um único ângulo que nos permita identificar um acerto na gestão Dilma, mas o pior é a recusa ao mea culpa e a insistência no uso de lentes cor de rosa para enxergar uma realidade que 84% dos brasileiros não veem.

    Abs

  2. Meu grande Brown,

    A nação não vê TV nem ouve rádio como nos nossos tempos. A audiência das redes sociais cresceram 70% em 2014 em relação a 2013. A audiência das TVs caíram quase 80%. Cerca de 20% de audiência média ainda é alto, considerando o tamanho da população. Mas as redes dominam nos smartphones, nos tablets… Hoje temos 147% de celulares nas mãos da população… Tem mais celulares que gente. Mais de 35% têm smartphones. Em 2016, chegará a 55%.
    O que a presidente Dilma fez foi começar a quebrar a cultura de que a grande mídia representa os olhos e ouvidos da nação. Não representa.
    Hoje a Globo foi obrigada a registrar as torcidas de Vasco e Botafogo cantando: “Olê olê olê, olá, Dilma, Dilma!!” Deixou o locutor mudo. No Paraná, as torcidas se uniram em protesto contra o governo de Beto Richa e o massacre dos professores em Curitiba. A grande mídia não controla mais a informação. Dilma acertou mais uma vez!!

    Abração

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s