A riqueza cultural de Vitória da Conquista

Vitória da Conquista - anos 70Famosa pela baixa temperatura, pelas rosas e por ser politizada, a querida Terra do Frio, que completou 173 anos de emancipação política no dia 9 de novembro, também tem fama no campo cultural.
As pessoas de fora lembram logo do cineasta Glauber Rocha e do músico Elomar, os dois de maior sucesso em suas áreas, com origem conquistense. Não se esquecem também de intelectuais da estirpe de Laudionor de Andrade Brasil e Camillo de Jesus Lima.
Cajaiba_2  Cajaiba_3
Na minha infância, o mais famoso nas artes plásticas era Cajaíba (Aurino Cajaíba da Silva), o mestre das esculturas na Serra de Periperi. “Vou deixar a história do Brasil feita de cimento e ferro para as crianças aprenderem” dizia o escultor. As informações sobre Cajaíba são  do blog Brasil Digital.

CajaíbaCajaíba - casa

Na edição de 02 de dezembro de 1967, a revista Manchete publicou uma reportagem em quatro páginas intitulada “ A História Fantástica de Cajaíba” que narra a história de um homem que, apesar da miséria em que vivia ao lado da família, era um genial artista ignorado em sua própria terra.
Em 1977, Cajaíba foi consagrado no curta metragem; “Cajaíba: Lições de Coisas – O Fazendeiro do Ar”. O documentário sobre a vida do escultor foi dirigido por Tuna Espinheira, e visto na França. Quando viram o filme os franceses reconheceram em Cajaíba um fenômeno.

Cajaíba - esculturas  Cajaiba_4

Em maio de 1968, o jornal Estado de S. Paulo publica uma reportagem de página inteira com o título “Esculpiu a história do Brasil no Sertão, à luz de candeeiro.” O mestre Cajaíba morreu em outubro de 1997, um mês antes de completar 80 anos. Clique na imagem e veja a entrevista de Edvaldo, o filho do mestre Cajaíba, que tenta, com muita dificuldade, preservar a arte do pai:

Edvaldo Cajaíba

Na mesma época, anos 70 (como a foto que inicia esse post) Alberto David fazia sucesso com seus quadros e livros no centro urbano.

Alberto David

Ontem, dia 19, o Bahia Record levou ao ar uma reportagem sobre os artistas conquistenses, entre eles Romeu Ferreira, amigo que nos anos 80 me presenteou com um belo trabalho de bico de pena. Clique na imagem e veja a reportagem, o conquistense que está longe mata um pouco da saudade. O que está na cidade, reflete mais sobre a riqueza cultural de Vitória da Conquista.

TV Record - Romeu Ferreira - 19-11-2013

9 pensamentos sobre “A riqueza cultural de Vitória da Conquista

  1. Muito bom, Brown, só hoje pude ler. Conquista é mesmo uma terra onde brota cultura. Estou com uma ideia aqui na cabeça, acho que vou arranjar uma câmera e fazer um documentário sobre outro filho ilustre, um tal de José Bomfim, “puta velha” no jornalismo baiano hehehe

  2. Boas lembranças, fico feliz de ter participado um pouco da história da nossa querida Conquista.Nosso programa dominical, quando criança, era irmos com pai ao pé da serra visitar Cajaíba.
    Abraços carinhosos em Romeu, admiro-o não só como artista, mas também como companheiro da doutrina espírita.

  3. Perfeito post. Acontecimentos e personagens conquistenses, quanta saudade. Isso sem contar com os ausentes por lá, e que, fora, em outros lugares, fazem sucesso.
    Abraço forte.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s