CNJ divulga ranking. TJ da Bahia é o terceiro pior

Por várias vezes o blog falou da ineficiência do Judiciário da Bahia. São muitos os exemplos e até a então corregedora-geral do Conselho Nacional de Justiça fez críticas à morosidade e falhas do Tribunal de Justiça da Bahia. Clique e veja.
Assim, não é novidade a péssima colocação do TJ-BA no ranking nacional, como publicado pelo Bahia Notícias em 19 de dezembro. E, mais abaixo, informações sobre a agressão do promotor contra a juíza, lembra desse caso?
TJ-BA é o terceiro pior colocado em ranking do CNJ do desempenho dos tribunais estudais do país
TJ-BA é o terceiro pior colocado em ranking do CNJ do desempenho dos tribunais estudais do país
TJ-BA cumpriu apenas 8% das metas estabelecidas
O Tribunal de Justiça da Bahia aparece como um dos três piores do país no ranking das cortes estaduais com os melhores índices de gestão. A corte baiana só conseguiu atingir 8% dos requisitos de gestão estabelecidos na Resolução 70, do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). A classificação foi revelada pelo Diagnóstico da Gestão Estratégica do Poder Judiciário, elaborada pelo CNJ. O Tribunal de Justiça de Sergipe (TJ-SE), Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJ-RS) e Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte (TJ-RN) estão no topo do ranking, com os melhores índices de avaliação, por ter conseguido implantar os requisitos de gestão estabelecidos pela Resolução 70. Cada um conseguiu, respectivamente, implantar 82%, 76% e 72% dos requisitos estabelecidos. Os tribunais de Alagoas, Piauí e Bahia, por sua vez, foram os últimos da lista por ter atingido apenas 2%, 6% e 8% dos critérios fixados pelo Conselho.
Já no ranking dos tribunais regionais trabalhistas, o Tribunal Regional do Trabalho da 5ª Região (TRT-5) na Bahia ocupa o primeiro lugar do ranking por ter atendido 78% dos critérios da resolução. Em segundo lugar está o TRT da 7ª Região, no Ceará, com 73% e em terceiro lugar ficou o da 12ª Região, em Santa Catarina, por ter atingido 72% dos requisitos. Em último lugar ficou o TRT da 18ª Região, em Goiás, com 31% das metas atingidas. O levantamento foi feito entre 27 de agosto e 14 de setembro. Os critérios levaram em consideração o envolvimento da alta administração dos tribunais, como comprometimento do presidente, vice-presidente e corregedor e a gestão participativa.
A classificação foi elaborada pelo Departamento de Gestão Estratégica (DGE), com a supervisão da Comissão de Estratégia, Estatísticas e Orçamento do CNJ. O estudo subsidiou o 6º Encontro Nacional do Poder Judiciário, realizado no inicio do mês de novembro, em Aracaju (SE). O evento fixou recomendações melhoria de gestão dos tribunais brasileiros para ano de 2013.
Porto Seguro: Defesa de juíza espancada por promotor aciona agressor
A defesa da juíza Nêmora Lima, da Comarca de Caravelas, no sul baiano, protocolou na semana passada no Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) duas ações penais contra o promotor Dioneles Leones Santana Filho (leia aqui). Leones agrediu a magistrada em um camarote de uma festa em Porto Seguro em fevereiro deste ano. O agressor desferiu socos e pontapés nas costas e na cabeça da juíza. Ele também bateu no namorado de Nêmora. Segundo o advogado da vítima, João Daniel Jacobina, uma das ações alega injúria real e a outra denunciação caluniosa. Elas só serão apreciadas após o recesso do judiciário. O promotor foi condenado a pagar R$ 1 mil em cestas básicas, mas continuou suas atividades normais ao ser transferido para a comarca de Jequié.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s