Ei! Você viu o Judiciário da Bahia? E O Ministério Público? Rapaz…

Imagem tomada emprestada do Blog do Dário Pedrosa

Não é brincadeira. Depois de 87 dias em greve os professores estaduais do ensino público da Bahia foram, em comissão, ao Ministério Público. Em outros tempos, esse quarto poder da República teria agido e obrigado o governo a negociar a greve.
Sim, porque os professores todos os dias fazem bazar, assembleia, passeatas com cartazes pedindo ao governador Jaques Wagner que negocie. Ofícios foram encaminhados ao governo, ao Ministério Público.
E quando viram que os representantes das leis terrenas nada faziam, procuraram os representantes das leis divinas. Audiências foram feitas com o arcebispo primaz do Brasil, Dom Murilo Krieger. Subiram a Colina Sagrada, foram à Igreja do Bonfim e no Dique do Tororó se dirigiram aos orixás.
E o Judiciário? Pelos despachos considerando a greve ilegal vê-se logo que juízes e desembargadores não se dão mais ao trabalho de ler qualquer coisa contra o governo estadual da Bahia.
E o antes vigilante e atuante Ministério Público? Nem se move.
Tempos complicados para quem defende democracia.
E também para jornalistas, professoers, engenheiros, médicos e outros profissionais liberais, intelectuais meia boca ou boca inteira que passaram a vida espinafrando a direita, lutando para eleger um governo diferente e hoje se recolhem, com medo de criticar os governantes que ludibriaram seus eleitores.
Essa gente que gosta da democracia e respeita o contraditório é de bem,  mas teme criticar porque pode ser carimbada como de… “direita”.
Rapaz…
O melhor é ler os artigos da professora doutora Consuelo Novais Sampaio:

O artigo publicado em A TARDE, de 13 de junho de 2012

Em 1º de maio, o jornal A TARDE publicou em sua página 2, o artigo Educação antecede o progresso, de autoria também de Consuelo Novais Sampaio.
Atente para o parágrafo: “Em constrangedor atraso, inclusive em relação aos irmãos sul-americanos, o Brasil decidiu estabelecer piso nacional para os professores da rede pública, cuja referência é o índice do Fundeb, atualmente fixado em 22,22%. Sempre na contramão, a Bahia resiste, apesar do acordo firmado (11 de novembro de 2011) transformado na Lei 12.364/2011, de cumprimento daquele reajuste no salário dos professores do ensino médio e fundamental. Este acordo com o Estado deveria entrar em vigor em janeiro de 2012. Os professores esperaram, fizeram greve em março, para lembrar o governo do compromisso assumido. Voltaram às aulas sem que o governo se pronunciasse. Daí a atual greve, desde o dia 11 de abril”.

3 pensamentos sobre “Ei! Você viu o Judiciário da Bahia? E O Ministério Público? Rapaz…

  1. Nunca vi um MP tão omisso. O Judiciário não foi surpresa, juízes e desembargadores sempre estão a favor do governo. Mas o MP parecia ser favorávelaos direitos do povo, do trabalhador, mas não é.

  2. Como sempre seus textos são maravilhosos. Nos fazem sempre enxergar um pouco mais além do que está exposto. Essa greve nos traz muitas reflexões e deixa cair o véu para mostrar uma realidade que estava escondida para alguns. Mas como minha mãe sempre diz, “não adianta esconder a sujeira embaixo do tapete porque ela sempre aparece”. Mas ainda tenho uma grande esperança de que os movimentos sociais redescubram a sua força e tragam à tona o que muitos profissionais já se esqueceram: seu dever de cidadãos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s