A reconstrução de um clube

Excelente comentário do Lédio Carmona sobre a goleada cruzmaltina. Independente do placar, hoje dá gosto ver o time jogar. Não há frouxidão. Claro, a gente percebe que o time é lutador, de transpiração, falta muito para ser uma equipe de inspiração, mas nessa etapa de reconstrução está bom. O Vasco jamais teve o planejamento que está tendo.
Vasco 4 x 1 Botafogo, quinta-feira, 12 de março, no Maracanã

Vasco 4 x 1 Botafogo, quinta-feira, 12 de março, no Maracanã

Do blog de Lédio Carmona
O sentimento não parou
sex, 13/03/09 por Lédio Carmona |
No ano da reconstrução, uma vitória para o torcedor acreditar que a volta por cima é possível. Hoje, o vascaíno sorri novamente. Não só pela goleada de 4 a 1 sobre o Botafogo, campeão da Taça Guanabara, no Maracanã. Mas por várias outras coisas.
1. O Vasco-2009 tem um treinador competente e que soube escolher jogadores, passar confiança e dar padrão ao time.
2. O novo Vasco tem um gerente de futebol competente e antenado: Rodrigo Caetano é moderno, organizado e é do ramo, algo raro e fantasioso no clube nas últimas temporadas.
3. A equipe é superior (ao cubo) àquela tragédia que vestia a camisa histórica ano passado, cheia de chinelinhos e gente disposta a ir embora a qualquer preço. Uma maioria de jogadores sem o menor respeito e consideração pelo clube.
4. O torcedor comprou o projeto e acredita. E só quem não contribui são alguns dirigentes que, como crianças patéticas, seguem se arranhando em público, em meio às picuínhas e vaidades individuais.
5. Jogadores, como Carlos Alberto, Thiago, Paulo Sergio e Elton, assumiram o clube, suas dificuldades financeiras e comandam o time, sem reclamações e chororô. Tratam o Vasco como ele é: grande. E sabem que, através dele, eles também podem crescer.
Pois então. Vasco e Botafogo foi um ótimo clássico para 30.290 pagantes no Maracanã. O Botafogo tem um bom time, um excelente treinador, mas foi atropelado pelo time de Dorival Junior. E, de mais a mais, Ney Franco deve abrir o olho sob um aspecto. Durante o jogo, detectei alguns excessos de firulas, soberba e marra em alguns jogadores. É normal. O time ganhou a Taça Guanabara. Dá para repôr tudo nos trilhos. E Ney o fará. Mas está claro que o sucesso alvinegro é o coletivo. Se mudar, naufraga.
Voltemos ao Vasco e à melhor partida do ano de Carlos Alberto & Cia. Ritmo alucinante, marcação forte na saída de bola, sufoco nos primeiros minutos. O Botafogo mal passava no meio de campo. E, logo aos dois minutos, passe perfeito de Carlos Alberto para a projeção de Elton: 1 a 0. O Vasco mereceu fazer mais, mas nâo conseguiu. Até que, no meio da primeira etapa, o Botafogo equilibrou as coisas. No segundo tempo, Ney Franco veio com Gabriel no lugar de Emerson. O time ganhou mais saída de bola pela esquerda, com Thiaguinho compondo com Gabriel por aquele lado. Mas, logo depois de entrar, Rodrigo Pimpão deu lindo passe para Elton: 2 a 0 (4º gol dele no Carioquinha, o 6º na temporada). Tudo parecia sob controle até que Nilton, bom volante, deu um coice em Gabriel e foi expulso. O Botafogo cresceu e Thiaguinho descontou, pondo fim à invencibilidade de 525 minutos de Thiago sem levar gol. A diferença é que o Vasco-2009 não é covarde e frouxo como o do ano passado. Seguiu perigoso nos contra-ataques. E ganhou um pênalti mal marcado. Paulo Sérgio foi derrubado fora da área. O arbitro viu dentro. E, mesmo com a cobrança irresponsável e anti-desportiva de Leo Lima, aquela insuportável paradinha, o terceiro gol saiu. No fim, mais um passe de Pimpão e o gol de Carlos Alberto, o quinto no campeonato. Destaques: Carlos Alberto, Elton, Jefferson, Ramon e Pimpão. Uma vitória para o vascaíno acreditar de vez. Não é um timaço, não sei se ganhará alguma coisa. Não importa. A meta em 2009 é voltar à primeira divisão. Se der para ganhar o Estadual ou a Copa do Brasil, com certeza os vascaínos acharão fantástico. Mas o mais importante da temporada é resgatar o orgulho do torcedor. Recuperar a auto-estima. Reabilitar o prazer de ir ao estádio, cantar as músicas e berrar “casaca”. Isso, está claro, já foi conseguido. Independente de qualquer conquista, de qualquer troféu, de qualquer goleada. O Vasco voltou. O sentimento voltou. Vale a pena acreditar.
Botafogo – Renan, Emerson (Gabriel), Juninho e Leandro Guerreiro; Alessandro, Fahel, Léo Silva (Diego), Maicosuel e Thiaguinho; Jean Carioca (Laio) e Victor Simões. Técnico: Ney Franco.
Vasco – Tiago, Paulo Sérgio, Fernando, Titi e Ramon; Amaral, Nilton, Jéferson (Mateus) e Carlos Alberto; Alex Teixeira (Rodrigo Pimpão) e Elton (Léo Lima). Técnico: Dorival Junior.
Local – Maracanã
Arbitro – Rodrigo Nunes de Sá.
Gols – Elton aos dois minutos do primeiro tempo e aos 16 minutos do segundo tempo; Thiaguinho aos 24; Léo Lima aos 38 e Carlos Alberto aos 46 minutos do segundo tempo.
Cartões amarelos – Fernando, Nilton, Jéferson, Alex Teixeira, Elton, Carlos Alberto (Vasco); Fahel, Emerson, Alessandro, Léo Silva, Gabriel, Victor Simões (Botafogo). Cartões vermelhos – Nilton (Vasco); Gabriel e Diego (Botafogo). Público: 30.290

3 pensamentos sobre “A reconstrução de um clube

  1. Quem o vasco volte logo à série A! O futebol brasileiro agradece, e o Flamengo também. São 6 pontos valiosos! hehhehe

    Invejo o Vasco. Queria muito que meu time estivesse trilhando este caminho da reestruturação através de uma diretoria honesta. Isto passa longe da Gávea. E o nossos heróis não querem nem ouvir falar sobre disputar o poder no Flamengo. É duro.

  2. Pingback: Brown rides again-reconstruindo glórias «

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s